Datas e Curiosidades Históricas


Datas e Curiosidades Históricas


 

(por José Roberto Vasconcellos)

 

15 de dezembro de 1763: data da fundação de Bragança Paulista (por doação de terras para construção de uma capela em louvor a Senhora da Conceição)

 

13 de fevereiro de 1765: instala-se a paróquia no arraial reconhecido pela autoridade eclesiástica e que  recebe o nome de  Freguesia da Conceição do Jaguary,   incorporada à  Vila de Atibaia.

 

17 de fevereiro de 1765: Conceição do Jaguary recebe seu primeiro pároco (padre Jeronimo Bueno de Camargo). A capela é elevada à Matriz, iniciando as atividades da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição do Jaguary.

 

12 de outubro de l778: Joseph Bautista Pay, morador por mais de 40 anos, pode ser reconhecido como primeiro povoador da paragem conhecida por Canivete na Freguesia de Nossa Senhora do Jaguary, conforme consta às fls. 159v de um dos livros de Notas, do Judicial Nottas, Camara da Villa de Sam Joam de Atibaya. (esse registro encontra-se no Museu Municipal).

 

17 de outubro de 1797: após acirrados debates com a Câmara de Atibaya, Conceição do Jaguary  desmembra-se e é elevada à categoria de Vila, recebendo o nome de NOVA  BRAGANÇA, por  Portaria  do então Governador da Capitania de São Paulo, General Antônio Manoel de Mello Castro de Mendonça.

 

1829: é instalado o primeiro correio de Nova Bragança: As correspondências seguiam 3 vezes por mês para a sede da Província de São Paulo.

 

1829: ano da chegada dos primeiros escravos a Nova Bragança, vindos da Bahia ou de Pernambuco.

 

20 de abril de 1856: a Vila Nova Bragança é elevada a categoria de cidade, pela Lei Provincial nª 21, com a denominação de BRAGANÇA.

 

1864:  guerra do Paraguai, também chamada a Grande Guerra.  A imprensa da época solicitava o alistamento voluntário. Somente 6 bragantinos se apresentaram, incorporando o Batalhão de Voluntários da Pátria e seguindo para o campo da guerra.

 

1870: as pequenas ruas da cidade tinham pouco movimento. Existiam duas farmácias, um sapateiro, um alfaiate, uma mercearia, um bilhar, uma padaria, um açougue, várias tabernas, duas escolas públicas e três advogados. O correio funcionava a cada 5 dias, recebendo correspondências de São Paulo e da Corte.

 

1873: fundação do Colégio Bragantino, pelo mestre José Guilherme Cristiano. Foi o primeiro estabelecimento de ensino de Bragança Paulista.

                           

30 de março de 1873: fundação do Clube Literário Bragantino. É considerado como o  primeiro Centro Cultural de Bragança.

 

02 de maio de 1875: é publicado SÉCULO XIX. O  primeiro jornal editado em Bragança. José Cândido Furquim de Campos, seu proprietário, é considerado o “Pai da Imprensa bragantina”.

 

1876: na área urbana as ruas eram conhecidas com as  denominações de: rua da Palha (hoje R Cel Assis Gonçalves), das Pedras, do Agravo, Alegre (hoje R Cel Teófilo Leme, onde ficavam as casas das alegres mulheres de vida), Nova, do Lava-pés, do Rosário, da Igualdade, da Independência, Largo da Matriz, da Cadeia, beco do Vale e beco de São Luiz.

 

17 de junho de 1877: sai o primeiro número do jornal O GUARIPOCABA, que teve lugar de destaque na imprensa da Província de São Paulo.

 

14 de agosto de 1881: fundação do Clube dos Escravos (o único do gênero em todo o país).  O feito, na época, mereceu aplausos da imprensa nacional e estrangeira.

 

1883: Bragança adere ao movimento de emancipação de escravos. Fazendeiros bragantinos concedem cartas de alforria aos seus respectivos escravos. Uns com condições de trabalho de 1 a 2 anos, outros incondicionalmente.

 

1884: a cidade possuía 480 prédios térreos, 13 assobradados, 14 de um andar e 1 de dois andares. Os aluguéis mensais variavam de 6$ a 60$000 réis. A população do município era de 16 mil pessoas (2.100 na cidade, zona urbana)

 

15 de agosto de 1884: fundação da Estrada de Ferro Bragantina, extinta em 1964 (80 anos depois)

 

24 de novembro de 1884 - em visita a amigos monarquistas, chega de trem a Bragança o Conde d'Eu, marido da Princesa Isabel, aqui permanecendo por 4 horas.

 

12 de novembro de 1886: visita do Imperador D. Pedro II acompanhado da  Imperatriz Dona Teresa Cristina à cidade de Bragança, onde permaneceram por 3 horas, deixando aqui a Bandeira do Brasil Império  e uma espada contendo a inscrição "Viva o Imperador" (que  se encontram no Museu Municipal).

 

1887:  ano de fundação do Mercado Municipal, que leva o nome de “Waldemar de Toledo Funk”, uma homenagem ao vereador que foi presidente da Câmara Municipal nos anos de 1953 a 1955.

 

14 de maio de 1888: através do telégrafo da EFB, a Câmara de Bragança recebeu a notícia da abolição de escravos assinada as vésperas pela Princesa Isabel no Paço da Cidade, no Rio de Janeiro. Nesse mesmo dia, oficiais da Justiça saíram em direção às fazendas do município anunciando a todos os escravos que estavam livres (podiam ficar ou sair).

 

17 de novembro de 1889: na sacada central do Paço Municipal, sob o acorde da "Marselhesa", tocado por banda musical, foi comemorada a proclamação do Governo Provisório Republicano da Província de São Paulo, em virtude da Proclamação da República, no dia 15 daquele mês.

 

02 de fevereiro de 1891: fundação da Sociedade Democrática Italiana de Socorros Mútuos.  Nos seus 109 anos passou por diversas denominações: Casa D' Itália,  Casa da Itália, Sociedade Italiana e atualmente  Sociedade Ítalo-Brasileira. Sua sede social na rua Cel. Leme, construída em prédio próprio, foi inaugurada em 04 de outubro de 1896.

 

1892: ano de fundação do Matadouro Municipal, situado na Praça Coronel Jacinto Osório, que deu o nome ao bairro.

 

1893: inaugurado na cidade o serviço de água: inicialmente abastecia 8 chafarizes e todas as casas da rua Direita (hoje Cel Teófilo Leme) e  do Comércio (hoje Cel João Leme)

 

27 de abril de 1894: fundação do Clube Literário e Recreativo. Inicialmente sua sede funcionou em vários locais. Em 1895 mudou-se para sua sede social  atual, cujo prédio foi  adquirido por compra em 15 de novembro de1905 ao preço de 32.000$000 réis.

 

03 de novembro de 1895: surge o jornal Cidade de Bragança, fundado pelo major Benedito Rodrigues Moreira, José Villagelin e capitão João de Salles Pupo.

 

09 de agosto de 1897: data da fundação do Grupo Escolar Dr. Jorge Tibiriçá, uma dos mais tradicionais da cidade.

 

01 de janeiro de 1900: data de fundação do Cemitério Municipal (foi transferido do Jardim Público para os altos da Vila Municipal, onde hoje se encontra). O primeiro cemitério de Bragança ficava atrás de Igreja do Rosário

 

1903: no recenseamento daquele ano, apurou-se que em Bragança residiam 5682 estrangeiros, sendo 4260 italianos, 938 espanhóis, 286 portugueses, 71 turcos, 23 africanos e 104 de outras nacionalidades.

 

10 de julho de 1905: com festas entusiásticas às 18 horas desse dia, é inaugurado serviço de luz elétrica. A cidade ficou enfeitada por um colar de esferas luminosas, cor de opala.

 

14 de outubro de 1908: a população bragantina recebe com surpresa o primeiro automóvel que circula pelas  ruas da cidade.  Era conduzido pelo Conde Zardini, tendo 4 passageiros, dentre eles  o comerciante bragantino Nicolino Nacaratti,

 

Outubro de 1909: inauguração do “Asylo de Mendicidade do Centro Catholico” (hoje Lar São Vicente de Paulo).

 

1911: ano de fundação da antiga Fábrica de Tecidos Santa Basilissa, a rua Dr Freitas, cujo prédio permanece original até hoje. Chegou a possuir mil operários.

 

Março de 1912: na estrada do  morro do Sabão, próximo  à Capela da Santa Cruz dos Enforcados é inaugurada a Fábrica de Fósforo " N. Montessanti";  chegando a produção diária de 25 latas de fósforo.

 

14 de agosto de 1912: chega a Bragança um automóvel Ford (Potência: 20 cv), adquirido por Plínio Salles Pupo, o primeiro "taxi" da cidade.

 

01 de fevereiro de 1915: data da fundação do Colégio Sagrado Coração de Jesus, à rua Cel. João Leme.

 

Setembro de 1917: inauguração do Hotel Carvalho.

1920: técnicos dos governos de Minas Gerais e São Paulo, em expedição ao  morro do Lopo, constataram  no ponto mais elevado da pedra da Guarayuva  existir gravada na rocha, uma cruz, tendo 4 braços sensivelmente iguais, de dez centímetros de comprimento, dois e meio de largura e um de profundidade. Na época moradores antigos não souberam dizer a origem daquela gravação.  Seria essa cruz gravada quando da elaboração da linha de Luiz Diogo de 1764, na questão dos limites entre Minas - São Paulo.

 

21 de janeiro de 1925: fundação do Grupo Escolar José Guilherme, instalado em 11 de fevereiro daquele mesmo ano no secular casarão nº 37 da Rua Barão do Juqueri. Em 15 de dezembro de l945 mudou-se para prédio próprio, especialmente construído no bairro do Lavapés.

 

24 de julho de 1925: é criada a Diocese de Bragança no Brasil, tendo em 04de fevereiro de 1927 tomando posse como seu primeiro Bispo, Dom José Maurício da Rocha.

 

1927: inauguração do Curso Prática de Comércio, que funcionava num casarão da rua Cel .Osório. Funcionou até quando ocorreu a "reforma do ensino" de 1931. Foi o primeiro curso de formação profissionalizante da cidade.

 

18 de junho de 1927: José de Oliveira, José Thomazini e Oswaldo Russomano fundam o Bragança Jornal, atualmente Bragança Jornal Diário.

 

08 de janeiro de 1928: fundação do Clube Atlético Bragantino.

 

13 de março de 1928: fundação do Colégio São Luiz, no prédio do antigo Teatro Carlos Gomes.

 

1929:nesta época, Bragança tinha: 3 mil residências, 338 aparelhos telefônicos, 3 mil eleitores, 3 jornais (O Lyrio, Cidade Bragança e Bragança Jornal ), 3 mananciais de água (Bocaina, Guaripocaba e Vieira), um Jardim Público, feito aos moldes europeus, 9 escolas estaduais, 2 Usinas de Eletricidade (Guaraciaba e Usina das Flores, ambas no Rio Jaguary) e 11 prédios principais ( Paço Municipal, Palácio Episcopal, Clube Literário, Grupo Escolar Dr Jorge Tibiriçá, Matadouro, Mercado, Fórum, Catedral, Colégio São Luiz, Santa Casa e Hospital de Isolamento). Naquela época, éramos conhecidos como Cidade Poesia. Também, neste ano, foi demolida a pequena igreja do Rosário, para dar lugar ao belíssimo templo que hoje conhecemos.

 

09 de Maio de 1931: fundação da Sociedade Sinfônica Amadores da Arte Musical, hoje mantenedora da Casa da Cultura.

 

1932: são iniciadas as obras de construção do estádio do Clube Atlético Bragantino. Ideia e iniciativa de Cícero Marques.

 

23 de julho de 1933: inauguração do estádio do Clube Atlético Bragantino, com o jogo Bragantino 1 x 2 Palestra Itália . Na preliminar: Bragantino 3 x 1  Piracaia F. C.

 

20 de agosto de 1934: Fundação da Associação Comercial de Bragança.

 

1935: fundação da Escola de Comércio Rio Branco. Foi a primeira grande escola profissionalizante de Bragança, com formação e habilitação para auxiliar de escritório e técnico em contabilidade.

 

04 de fevereiro de 1935: o Diário Oficial do Estado, publicando um quadro estatístico das indústrias  de São  Paulo, refere-se a Bragança como tendo 33 fábricas bragantinas, com 708 operários; o capital empregado de 6.770:794$000, força motriz de 568 CV e a produção de 3.578:558$000.

 

Agosto de 1935: inauguração da Agência dos Correios, em sede própria construída pelo DCT na rua Cel. João Leme.

 

Setembro de 1935: fundação do Sindicato dos Operários Têxteis de Bragança. - Foi o primeiro sindicato organizado na zona bragantina

 

01 de junho de 1940:fundação do Aéreoclube de Bragança, por iniciativa de Dalmácio de Souza Ferraz

 

03 de agosto de 1940: inauguração do "Rápido de Luxo São Paulo - Bragança", linha de transporte de passageiros através de carros de passeio, Chevrolet, tipo V-8 de 1940".

 

1945: é criada em Bragança, a Estação Zootécnica e recinto para exposição de animais. O local escolhido é o Parque de Exposição Fernando Costa, conhecido "Posto de Monta”.

 

01 de janeiro de 1945 - pelo Decreto Federal nº 14334, de 30.11.1944, a cidade passou a chamar-se Bragança Paulista, para diferenciar-se de Bragança, no Estado do Pará.

 

10 de agosto de 1945: Bragança recebe com festas e homenagens os expedicionários bragantinos, vindos da Europa com o lº escalão da FEB.  As festividades transcorreram por 3 dias.

 

06 de março de 1947: pelo Decreto-Lei nª  l7O2l   é  criado o primeiro Ginásio Estadual de Bragança Paulista, hoje "Cásper Líbero".

 

05 de junho de 1948: chegam a Bragança os padres italianos do PIME:  Padre. Aldo Bollini e mais dois companheiros sacerdotes.  Padre Aldo foi o gigante que transformou Bragança, espiritual, cultural e socialmente, construindo escolas e atuando na ação social.

 

27 de setembro de 1948: o "Baile do Café" realizado no Clube Literário e Recreativo constituiu-se no acontecimento social de vulto na cidade.

 

30 de abril de 1949: data da inauguração da Rádio Bragança Ltda (prefixo ZYM-9, Freqüência de 1540 quilociclos) ,  com sua sede na rua Dr. Cândido Rodrigues.

 

09 de julho de 1949: Padre Aldo Bollini e Padre Domingos Bonucci, fundam o jornal A Voz de Bragança, que encerrou suas atividades em 1990, após 49 anos de circulação.

 

29 de julho de 1949: inauguração do Cine Bragança (originalmente chamado de Cine-Teatro Bragança), com o filme Folias da Ópera

 

20 de abril de 1950: inauguração da I Exposição Agropecuária de Bragança Paulista.

 

1950: ano de chegada de muitos japoneses, conseqüência da migração e da Segunda Guerra Mundial

 

1952: mais de 500 pessoas participam do banquete de inauguração do Hotel Bragança, no centro da cidade.

 

24 de outubro de 1953: fundação do Museu Municipal (iniciativa do vereador Saturnino Pacciti e do prefeito de Ângelo Magrini Lisa) e da Biblioteca Municipal.

 

01 de maio de 1954: realiza-se no Clube Literário o "Baile dos Calouros", homenagem aos estudantes bragantinos que ingressaram nos cursos superiores de São Paulo, Campinas e Bauru daquele ano.

 

26 de setembro de 1954: inauguração do edifício do Palácio da Justiça (Fórum Dr. Waldemar Ferreira) construído na praça Raul Leme.

 

25 de agosto de 1956:  pela Lei 262, é adotado oficialmente o Brasão de Armas de Bragança Paulista, elaborado por José Washt Rodrigues. O Brasão foi totalmente alterado em 1963 por ocasião das comemorações do Bicentenário da cidade e  novamente modificado em 1971.

 

1957: iniciado o asfaltamento da rodovia Capitão Barduíno (oficialmente Rodovia Pedro Astenori Marigliani - SP-008) que liga Bragança a Socorro.

 

Dezembro de 1958: o Departamento Estadual de Estatística divulga que o município de Bragança Paulista possui no seu setor industrial 295 estabelecimentos, um dos totais mais elevados do Estado. Na agricultura os principais produtos eram: batata inglesa: 296.800 sacas de 60 kg, tomate: 22.950 toneladas; cebola: 330.000 arrobas, marmelo: 10.000 centos.

 

Julho de 1959:  com a presença do presidente JK e do governador Carvalho Pinto é inaugurado o trecho paulista da BR-55, Rodovia Fernão Dias.  Na época, o acesso dos bragantinos à nova rodovia era feito pela estrada de rodagem BP-SP no entroncamento existente no Bairro do Tanque (região de Atibaia)

 

08 de março de 1961: fundação do 3ª Grupo Escolar que tem o nome de "Prof Paulo Silva", modesto homem de cor que foi também nessa terra um apóstolo da caridade.

 

28 de maio de 1961: Bragança passa a receber energia da Central Hidroelétrica do Rio Pardo - CHERP. Foi a causa principal que viabilizou doze anos depois na criação dos Parques Industriais.

 

23 de novembro de 1963: inauguração da estação rodoviária, nas proximidades da avenida Antonio Pires Pimentel, pelo então bispo Dom Jose Maurício da Rocha.

 

28 de fevereiro de 1964: Bragança perde parte de seu território com o desmembramento dos distritos de Pinhalzinho, Vargem e Pedra Bela elevados a município.

 

28 de outubro de 1964: Bragança é elevada à Estância Climática, devido ao seu excelente clima.

 

24 de novembro de 1965: o Clube Atlético Bragantino é campeão da 2ª divisão e acessa à divisão especial. Retorna a 2ª divisão em 1966.

 

janeiro de 1965: início da demolição da antiga igreja Sé Catedral, que cedeu lugar ao templo moderno que hoje conhecemos.

 

17 de dezembro de 1968:  doação do acervo literário da Dra Adalzira Bittencourt à biblioteca municipal, que passa a denominar-se “Biblioteca Municipal Dra. Adalzira Bittencourt”.

 

17 de abril de 1970:  Vargem é reintegrada ao território bragantino voltando a condição de distrito.

 

1976: os Frades Franciscanos iniciam suas atividades educacionais em Bragança, surgindo, posteriormente, a Universidade São Francisco (USF).

 

28 de outubro de 1976: inaugurado o Museu do Telefone de Bragança Paulista. O primeiro do Brasil, no centenário da invenção do telefone.

 

18 de dezembro de 1981: implantação do Corpo de Bombeiros em Bragança.

 

15 de abril de 1982: fundação da Câmara de Dirigentes Lojistas de Bragança Paulista.

 

29 de novembro de 1984:Bragança é elevada à sede da região, composta por 16 municípios.

 

27 de novembro de 1988: o Clube Atlético Bragantino é campeão da 2º divisão, subindo para 1ª divisão.

 

26 de agosto de 1990: o Clube Atlético Bragantino é Campeão Paulista de Futebol.

 

1991: o piloto bragantino Jorge Negretti é Campeão Brasileiro de Motocross.

 

09 de junho de 199l: o Clube Atlético Bragantino é vice-campeão brasileiro de futebol, perdendo na final para o São Paulo.

 

30 de dezembro de 1991: Bragança perde parte de seu território e de sua população com a emancipação de Vargem e Tuiuti.

 

22 de fevereiro de 1992: fundação da ASES – Associação dos Escritores de Bragança Paulista

 

09 de junho de 2005:  o Clube Atlético Bragantino retorna à elite do futebol paulista.

 

24 de junho de 2006: falece o jornalista Omair Fagundes de Oliveira, diretor do Bragança Jornal Diário (o mais tradicional da cidade em  atividade).

 

01 de fevereiro de 2008: fechamento do Cine Bragança, após 59 anos de existência. Foi inaugurado em 29 de julho de 1949, originalmente chamado de Cine-Teatro Bragança.

 

 

 



Data: 01/10/2014